4 de ago de 2010

verdades que tanto guardei

não consigo não chorar, não consigo não pensar que uma parte, uma GRANDE parte minha se foi. não que um namoro tenha acabado, ou alguém em especial tenha morrido; longe disso. apenas sinto-me vazia, tão vazia quanto nunca havia me sentido.

sinto-me completa apenas em alguns momentos, quando estou com determinadas pessoas, falando de poucos assuntos. mas, na grande parte das vezes, sinto-me sozinha, mesmo que em meio a uma multidão. sinto-me sem amigos, apenas conhecidos. sou apenas mais uma na tribo, ou talvez um cacique dentro dessa nova tribo em que me coloquei.

sinto-me perdida. não estou mais na minha realidade, ou na minha cidade, ou com as minhas pessoas (e sim, MINHAS pessoas, mesmo que não posso controlá-las).

mas não quero aparentar ser ainda mais fraca do que eu já aparento. portanto, esqueça as palavras aqui escritas. não tente me ajudar. não tente me entender. não tente saber quem eu sou, e se realmente sou. será que sou? essa pergunta deixo para a aula de filosofia.

sinto saudade de um tempo que já se fora, de pessoas que foram embora e nunca mais voltaram pra mim. sinto que as areias do tempo [que poetisa (h)] escorrem entre meus dedos, e nada faço para que isso não aconteça. às vezes, sinto-me presa há alguns anos que passaram, como se aqueles fossem os melhores da minha vida - e quando eu estava vivendo, não notei.

sinto saudades.

ah sim, saudades, aquelas que me torturam. nas aulas, nos corredores, no "fazer projeto", na minha casa, na minha vivência, nas minhas amizades.

nos dias de semana, também. sinto saudade da unica pessoa que realmente me completa.
quem chutou "Ricardo Beck" (Corvo também vale ;D) acertou. sim, ele é o unico que me faz ficar realmente bem. apenas ouvir a voz dele não me é mais suficiente. preciso tê-lo, abraçá-lo, segurá-lo, fazê-lo dizer que é meu.

eu mudei. e isso eu notei ao escrever o ultimo parágrafo. mudei mais do que eu achei que tivesse mudado (pois falei a algumas pessoas que eu havia mudado, mas nunca tinha notado que tinha sido tanto). tornei-me possessiva, mais do que eu era anteriormente. tornei-me morta por dentro, também.

mas uma morta que ressucita aos fins de semana. ou, dependendo a semana, como será essa, na quinta feira mesmo.
aí sim me sinto viva. me sinto amada. me sinto BEM.

Ricardo, agradeço-te por me fazer viva, nem que seja por alguns instantes - quando o telefone toca começo a despertar, e quando tu chegas, estou completamente bem, e já esqueci de tudo aquilo que me faz morrer.

ah!, que texto mais confuso... mas, não há mais confusa que eu, obviamente. desde sonhos, vontades até a personalidade, passando, obviamente [bip! bip!, palavra repetida!] pelos meus escritos, contraditórios, fracoa, frouxos, mas que demonstram quem eu realmente sou.

saibas tu, que lê todas essas baboseiras que eu escrevo, que eu tenho sim uma máscara, mas que tu, leitor, me conhece muitas vezes melhor do que aqueles que julgam me conhecer MUITO bem.

e, como supracitado, ignore este texto.

e sim, "Verdades que Tanto Guardei" é o nome de uma música, da Fresno.

-
me desculpa por te falar verdades que tanto guardei; verdade foi que menti em todo tempo que te amei. desculpa por estar ausente quando você mais precisava de mim, por não chegar na sua frente e revelar que eu não sou perfeito assim. mas tudo que eu mais quero é não me sentir culpado em braços teus... (8)

-
e sim [2], desculpem a demora entre os posts, mas passei muito tempo off, sem vontade de internetear por aí.

3 comentários:

Roque Barros disse...

Confesso que este foi um dos textos mais belos e enigmáticos que já li em todo o teu blog, Taís, e já li este blog inteiro. Realmente gostei muito.

Roque Barros disse...

Você consegue transformar situações de sua vida que você precisa enfrentar, e também lembranças, sonhos, etc., em textos muito bem escritos.
Tenho certeza que você consegue superar tudo o que precisa superar, e consegue se encontrar plenamente.

Partido Alfa disse...

Tais, continuo te acompanhando. Esse é um momento especial, transformação. É como uma libélula que vai nascer. É dificil? Claro que é, mas vai acontecer, está acontecendo e pode ter certeza: de tudo isso vai renascer alguem muito especial, você. Buena Suerte, Baby.