7 de jul de 2011

O que te faz feliz?

O que te faz VERDADEIRAMENTE feliz?

Será que alguém, quem quer que seja, já chegou a essa resposta? Nem sei se felicidade existe; por muito tempo, acreditei que sim, mas por mais tempo ainda, achei que o que existem são momentos felizes, e não felicidade plena.

Então, reformulando as perguntas:
Felicidade existe? Se sim, o que te faz VERDADEIRAMENTE feliz? Se não, quais são os momentos em que tu mais chega perto do estado "felicidade"?

Respondo por mim: normalmente, depois que passa, percebo que estive feliz.
Tomando como exemplo concreto, grandioso, real e paupável, minha família; por tanto tempo não a quis, desejei que ela acabasse inúmeras vezes. no momento em que acabou, percebi que as coisas não faziam sentido algum se eu não tivesse meus progenitores do meu lado, e um irmão pra descontar a raiva e depois pedir desculpas, abraçar e brincar um pouco.

Percebi também, após os rompimentos, que agora eu desejo aquilo que antes eu tinha e estava habituada, mas quando possuía, eu queria aquilo que eu tinha antes ainda. não preciso exemplificar, e nem devo, para não me expor demais, expor aqueles que convivem comigo e tal e tal.

ora, acho então que estado de felicidade não existe, mas sim momentos felizes, mesmo que esses sejam mais duradouros que apenas um "momento". O que me faz feliz? saber que estou sendo plena e não-controversa, não sentir que deveria estar fazendo outra coisa; também as pequenas coisas da vida, como conversar com a Athena, caminhar de noite e sentir o rosto gelado e conversar por livre associação, ou até mesmo andar de metrô e analisar as pessoas ao meu redor.

hm, acho que mudei o foco inicial - como de costume -, mas nada que não tenha sido levemente produtivo, de acordo com o objetivo de um blog.

.
e sim, me empolguei com o post de antes :B

Um comentário:

Roque Barros disse...

"Felicidade existe?"

Sim!

"Se sim, o que te faz VERDADEIRAMENTE feliz? Se não, quais são os momentos em que tu mais chega perto do estado "felicidade"?"

Quando, em minhas meditações, entendo que estou caminhando por um caminho sólido, verdadeiro.

Estou naquilo que quero, que sonho, que realmente desejo, estou em meus ideais e projetos, há felicidade para mim nisto; somente o Céu sabe se estou certo ou não, mas sou feliz por estar neste meu caminho, neste caminho que é meu...

A felicidade para mim também está naquele meu costume que citei no post anterior, sobre os sonhos...

Sinto o frescor da felicidade também nas amizades sinceras, nos meus costumes diários e noturnos - como me alimentar bem, ver muitos filmes, caminhar com meu cão -, e nas viagens que faço ao passado e ao futuro...

E, mesmo neste mundo materialista, a felicidade está no amor, é o amor que faz a diferença...